top of page

Introdução ao Home Studio e Equipamentos

Atualizado: 15 de out. de 2021

Então você quer começar a produzir sua própria música? Sem problema, hoje em dia equipamentos de áudio estão bem mais acessíveis, e aqui vamos apresentar o básico para você começar a pôr mãos à obra!!! Espaço


Pra começar a montar seu estúdio é bom pensar se haverá espaço suficiente, e se será confortável para suas necessidades. O ideal é que seu local de trabalho seja num local reservado, com um tratamento acústico adequado para não incomodar os vizinhos, para isolar os sons que vem de fora, e para para ter uma reverberação adequada. O tratamento acústico é um fator essencial e existem profissionais e materias específicos para este processo, como a lã de rocha, a lã de vidro, e o sonex. Também é aconselhável uma mobília bem distribuída para os equipamentos, talvez um banheiro próximo, um sofá para os visitantes e um ar condicionado silencioso. Dentro do estúdio, o ideal é que haja uma sala para monitoração, a "técnica", e uma ou mais salas/cabines para gravação.


Máquina

Muitos estúdios pecam em não investir num bom computador, mas é uma peça essencial para a rapidez e processamento de dados dentro do estúdio. Com a era digital e os plugins, o componente mais importante é a memória RAM, que vai definir se seus programas e efeitos rodam com facilidade ou não. Veja na conexão da sua placa ou mesa, se é USB, Firewire, ou Thunderbolt, sendo a última a mais rápida, porém exclusiva para MAC. Pense se precisa de uma CPU com longa vida útil, ou um laptop para um estúdio portátil. Leve em conta o tamanha da tela, pois na hora da edição isso faz toda a diferença, e se talvez não queira até duas telas... Muitos mixadores dividem sua área de trabalho entre a janela de edição e de mixagem entre as telas! Veja os programas que você utiliza, o Pro Tools por exemplo, é mais confiável para rodar em um MAC, assim como o Logic é exclusivo para a plataforma. Agora se você usa o Ableton por exemplo, não faz muita diferença entre um e outro, e normalmente o PC Windows sai bem mais em conta. Interfaces de Som ou Mesas de Mixagem

Para gravar, reproduzir o áudio nos seus monitores, e outras funções, você precisará de uma mesa de som (console), ou uma placa de áudio (interface). Ao escolher esse tipo de equipamento se leva em conta quantos canais você vai usar, se precisa de muitos outputs para mandadas de fone, o tipo de conexão com a máquina e outros detalhes. Nos grandes estúdios é comum se acharem grandes mesas de mixagem, com 48, 64 ou mais canais, da Sony, Yahama, Avid (Digidesign), Soundcraft, Euphonix, SSL etc... Você pode até optar por um modelo menor, de 16 canais. Mas se seu objetivo a princípio for praticidade no estúdio, preço razoável, e ainda assim conseguindo um sinal decente, uma placa de som pode lhe atender. Para entrada de linha, muitos fabricantes fazem interfaces de bom custo benefício, como a Behringer e M-Audio... Nesse parâmetro de qualidade, os modelos mais populares são os da PreSonus e os da Focusrite. Um passo à cima seria uma MOTU, e mais profissional ainda seriam as placas da RME ou Universal Audio. Pré Amplificadores

O pré amplificador é a alma de um sinal vivo e encorpado, que torna o som profissional. Normalmente as mesas de som e as interfaces já possuem um pré amp, mas muitos optam por passar o sinal antes por um outro, onde haja mais qualidade de sinal ou diferença de timbragem. Rupert Neve é um engenheiro de som que desde os anos 70 tem suas mesas, pré amps e afins tidos como os melhores do mercado. Até hoje se utilizam channels strips de Neves antigas para passar o sinal por seu pré amplificador. Também são muito conhecidos o Avalon e os da Uníversal Audio. Outros fabricantes possuem pré amps de entrada que valem a pena conferir como Behringer, PreSonus, Focusrite etc... Monitores de Referência

No estúdio não se usam caixas de som de rádio ou CD Player, nem P.A's de sonorização ao vivo. Na hora de se gravar ou mixar, os profissionais utilizam os monitores de referência, que desepenham o papel de reproduzir o som com a maior fidelidade possível. Existem os os monitores passivos, que precisam de um amplificador, e os ativos, que já possuem um amplificador dentro deles. Os mais conhecidos são da Yamaha, com as clássicas NS10 dominando o mercado há décadas, ou os modelos mais novos HS8, 7e 5. Também são conhecidos os monitores da Genelec, e os da JBL. Os modelos da KRK, Alesis, Pre Sonus também são aceitáveis. Talvez para uma monitoração mais precisa dos graves, valha a pena investir num sub woffer, como o HS10w da yamaha. Em alguns estúdios você pode encontrar monitores "farfield", que são maiores e ficam atrás dos "nearfield" padrões. Controladoras (Pad ou Teclado)

Nos dias de hoje, onde se trabalha muito com música eletrônica e MIDI, é comum ver algum tipo de controladora para tocar seus instrumentos virtuais com naturalidade de toque e ritmo. O que se observa é uma divisão entre teclados MIDI, que seria mais fácil para utilizar com instrumentos de harmonia, e controladoras com pads, que é mais sensível para se usar com instrumentos de percussão, apesar de não ser uma regra. Existem muitos teclados controladores diferentes, inclusive sintetizadores que já vem com efeitos e timbres poderosos. No mundo dos pads existem alguns fortes concorrentes. Alguns Roland e companhia são famosos em diferentes formatos e tamanhos. Usuários do Ableton podem conferir o Push, feito para funcionar em sincronia com o software. Durante anos também as MPCs e MPDs da Akai dominaram o mercado, e até hoje continuam fortes com muitos usuários fiéis. Recentemente a Native Instruments vem ganhando grande público com a Maschine e o Kontrol, ambos sincronizam com o pacote Komplete e são fáceis e rápidos de usar. Microfones

Chegamos ao ponto crucial da história, os microfones. Antes leve em consideração suas prioridades, se deseja gravar apenas vocais, ou uma orquestra... Alguns timbres e instrumentos são melhor captados por certos modelos, mas não há regras nesse meio. É bom conhecer a Neumman, uma fabricante de renome, como a Ferrari dos carros. Por exemplo, para vocais, é muito comum encontrar um u87, ou o KM184 para agudos como o contra tempo. Para entrada de linha profissional a Neumman tem também o ótimo TLM103, ou você pode optar pelo seu concorrente direto, o famoso 414, da AKG, que também é muito conhecida por seus microfones. Já a Senheiser possui o famoso 421, para percussão. A Shure tem o SM58, para vocais guia e shows ao vivo, o SM57, muito usado em caixas de bateria, e o beta 52A para o bumbo. Os melhores microfones para vocais são caríssimos, e normalmente valvulados, para adquirir seu timbre próprio. Fabricantes como M-Audio, Behringer e companhia tem alguns modelos que podem lhe servir se estiver com o orçamento apertado, como o B-1! Outros (Instrumentos, Fones e Cabos)

Ainda há outros detalhes para se levar em consideração, como os instrumentos musicais no estúdio. Pode ser interessante ter um violão ou um piano acústico no seu espaço. Também deve adquirir fones de ouvido, provavelmente mais de um.. A Shure, Sony, AKG e Senheiser fazem bons fones. Talvez seja legal alguns rebatedores para remodelar a acústica do ambiente. Não esqueça de pedestais e pop filters para microfones de voz. Por último mas não menos importante estão os cabos de conexão. É essencial saber o que é um cabo XLR (microfone), um P10 ou "banana" (instrumento), um RCA, AC, USB, Firewire, Thunderbolt, ADAT e por aí vai.. Pesquise e saiba quais você vai precisar! Boa Sorte!

2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page